23 outubro 2009

Yes, nós temos um UNO

Que brasileiro é louco por carro, todo mundo sabe. Mas entrei pra uma família que é um pouco mais do que louca por eles: são loucos pelo Fiat Uno. É exatamente esse modelo que você vê aos montes pelas ruas, o carro mais barato do Brasil, a botinha ortopédica, é ele mesmo. A primeiro modo, é difícil compreender como alguém pode ser apaixonado por um carro como este, considerando que as pessoas em geral preferem modelos da Audi, Porsche ou Ferrari. Mas não esta família.

Tudo começou em 1991 quando a minha sogra comprou um modelo CS 1.3 - 1988. Não durou muito tempo, pois foi roubado, recuperado e vendido poucos meses após a compra. Até aí, a família Caleffi simpatizava mais com a marca Fiat do que com o modelo Uno em si e tinha outros carros da marca. Quando em 1997 veio o que seria o mais querido de todos os carros que passaram pela família até ali: um SX duas portas na cor vinho (eca!) 1997. Veio como parte de pagamento de um apartamento vendido pela família, tinha apenas 8.000km rodados, era quase novo. Foi nesse Uno que o Ronaldo aprendeu o que era um carro, andando no banco de trás dele e observando as trocas de marcha, seja com a mãe ou com o pai dirigindo. A cada dia que passava, cada volta com o carro, a família se apaixonava mais pelo modelo, ainda mais quando o comparava com os demais carros. Muito econômico, espaçoso e de manutenção extremamente barata. Viajaram pra Minas Gerais e Rio de Janeiro com ele. Era só encher o tanque que o Uninho estava pronto pra qualquer parada. Quatro anos depois ele teve que ser vendido para pagar parte do pagamento de um apartamento no centro de SP, onde hoje mora a Vovó Metralha.

De 2001 à 2003 a família passou por uma situação complicada, e infelizmente não conseguiu comprar outro carro. Sempre ficavam babando nos Unos, mas a situação estava complicada. Mas em 2004 (fevereiro, pra ser mais precisa) tiveram a oportunidade de adquirir um zero-quilômetro. Era um Fire 2003/2004 quatro portas, preto. Não era só a realização do sonho do zero que todos têm, era um Uno!! Depois de sentir tanta saudade do outro, o Fire preto veio pra suprir a lacuna. Foi nele que o Ronaldo dirigiu boa parte da sua época de permissão da CNH e até comprar o seu próprio Uno (calma que eu chego lá). Até eu andei bastante nele, pois trocávamos de carro com o pai do Rô no dia do nosso rodízio. Esse, durou cinco anos antes de ser vendido.

Em 2007 conheci o Ronaldo. Logo casamos e precisávamos de um carro. Ele nem me deu escolha. Compramos um Uno zero km 2007/2008 preto, duas portas. Na ocasião, compramos o carro sem ter pensado muito, pois deveríamos ter adquirido um quatro portas com opcionais. Mas tudo bem (quero dizer, pelo menos a prestação é mais em conta), aprendemos a lição. Ele é o xodó do Ronaldo, e de certa forma é o meu também. Comer dentro dele? Nem pensar. Beber? Nem água. Pés no banco? Mão no vidro? Morte certa.

Eu, Rô e nosso filho.


Claro que hoje,ele já não se parece mais com aquele que compramos. Faróis com lâmpadas de xenônio (famoso xenon), suspensão rebaixada, rodas e pneus esportivos e um som que ocupa metade do porta-malas são só algumas coisas feitas nele até hoje. E pelo o que conheço o Ronaldo, ainda virão muitas outras. Antes eu ficava brava, hoje não ligo porque sei que não adianta. Paixão é paixão e eu também tenho as minhas.

No começo de 2009 os pais do Rô puderam comprar outro carro. Dou um doce pra quem acertar qual é. Óbvio. Um Uno Economy Way - quatro portas, preto também. A vendedora disse: “Mas por que vocês não levam um Palio? Sai praticamente o mesmo preço, além de ser mais bonito”. Só não apanhou porque é muito gente boa. Esse é um pouco mais bacana que os outros que passaram pela família, pois veio com alguns luxos de fábrica. Admito que a Fiat melhorou demais nesse tal de Way, é muito confortável e silencioso. E isso posso dizer com toda certeza, pois sou obrigada a reparar em todas as diferenças, modelos, detalhes e todas essas loucuras de apaixonados por carros. Para eles, eu tenho que ser uma “Uneira” também, mesmo que contra minha vontade.

Resumindo, temos hoje 2 Unos pretos. No total, foram 5. Hoje aprendi a gostar do modelo, talvez não como eles, mas gosto. Nessa família, Uno é religião. São capazes até de sair na porrada com alguém que fala mal dele. E,posso garantir, não para por aí. O irmão do Ronaldo completará 18 anos em junho do ano que vem. Seria até um insulto dizer que ele, que já está trabalhando e juntando seu dinheirinho, não vá comprar mais um Uno pra família. Fora que, quando mudarmos pra outro bairro (quando o apê ficar pronto), o Ronaldo irá comprar um carro (Uno) mais antigo pra ir trabalhar (hoje ele vai de ônibus só pra não dar muita kilometragem e não “gastar” o carro, mas com a mudança isso não será mais possível).

Não podemos esquecer também dos planos que ele tem com meu sogro: Comprar um exemplar ano 1985 (tem que ser esse, porque é o primeiro ano dos Unos no Brasil), não importando como ele esteja, para reformá-lo e deixá-lo como novo, totalmente original. Aí, em 2015, eles colocarão a placa preta, marca máxima da originalidade de um automóvel com pelo menos 30 anos de vida, sendo digno de coleção.

20 comentários:

Casa de Catarina - lelê disse...

Ai Rosi!
Que engraçado isso! Eu não tenho preferência de carro... quando comprei, na verdade, nem fui eu que escolhi. Quem escolheu foi o meu namorado, equipou e eu escolhi a cor e paguei... não tenho muita preferência por carro. Também não sonho com grandes marcas e hoje em dia só penso em terminar de pagar o financiamento e ser feliz com este mesmo por mais um tempo. rsssssss.
Mas muito legal essa predileção...
Beijos
lelê

Danee disse...

Hahahahahaha, não é só a famíla do seu marido que é louca por carro (uno) a do meu namorado também, o Mendel herdou o uno do pai, que adivinha comprou outro uno quase igual. Se eu falo mal do carro o Mendel só falta brigar comigo e quando eu disse que no dia do nosso casamento nós iríamos da igreja para o salão no carro(uno) dele, ele quase chorou. Fazer o quê? Paixão é paixão.
Beijocas

fabiana lima disse...

Que linda historia! Eu ate hoje so ouco falar mal de Uno! Rsrs. Tinha q mandar a historia de vcs para a Fiat, com certeza vira comercial!

Verônica Cobas disse...

Deliciosa história, Rosi. E olha: a Karla, aqui do Criative-se, também tem um Fiat Uno. E adora!! Eu nunca tive um Fiat Uno, mas vários outros Fiats. Gosto da marca e de sua história na minha história. Meu primeiro carro foi um Fusca, mas esse não foi comprado por mim. Minha primeira aquisição pessoal é que foi um Fiat 147, vermelho, ano 1977. Eu comprei em 1978 e curtia aquele carrinho como se fosse um filho. Deu um trabalho ferrado, quebrava, dava despesa, mas eu amava. Depois andei traindo a marca, até que voltei a ter um Fiat Prêmio e, na sequência, dois Palios. Estou hoje com um Palio vermelho, relembrando o prazer da marca e da cor. Quem sabe um sonho delirante da Ferrari vermelha.
Adorei seu relato, sua história e...estava com saudades. Na verdade, estou na fase do sem tempo algum para visitar blogs, menos ainda para comentar. Então hoje reservei o dia - ou pequena parte dele - para isso.

beijo grande.

Fabiana disse...

Essa preferência de carro é um assunto engraçado.
Meu marido sempre foi doido, maluco por Bugres e Gurgel. Desde que o conheci ele já tinha seu bugre, e amava. Era muito ruim quando chovia, rs, mas ele gostava tanto que eu nem ligava. Depois de quase 08 anos juntos, e com duas filhas, ele decidiu deixar a paixão pelo bugre de lado. Ai então compramos um Del Rey, enorme, mas muito confortável, hoje tenho muitas saudades dele. Passamos para um palio, e agora um celta, que ele decididamente não gosta, rs. E eu adoro, kkk.

Mas ele é parecido com o seu marido: nada de comida, água, confeito, chiclete e cabelo molhado no carro. Nem pensar, rs. Cuida mais do carro do que dele próprio, rs.

Elaine disse...

Aqui em casa já tivemos vários modelos de carros, mas nunca UNO, não sei porque. Já meu pai gostava bastante de UNO e assim como seu marido, usava ônibus e deixava o carro na garagem para não "gastar", rsrsrsrs muito engraçado isso.
Uma lembrança carinhosa que tenho envolvendo um UNO, foi uma vez em que eu e o Wagner ainda namorávamos e não tínhamos absolutamente nada em termos de propriedade, nem carro, nem apto ou casa, etc. Daí o irmão dele nos emprestou um UNO 1.6R que na época era o "must" da marca. Era novinho com cheirinho de concessionária ainda, e comentamos um com outro: "ahh será que um dia teremos dinheiro para comprar um carro como este?"
Hoje, quando vemos tudo o que conquistamos, sempre nos lembramos deste episódio, quando tudo ainda era um sonho tão distante para nós.
Bjs, Elaine

Katia Bonfadini disse...

Rosi, que história legal!!!! Entendo perfeitamente que existem objetos que se tornam nossa paixão! Eu admiro vários produtos que circulam por aí, principalmente por sua originalidade, funcionalidade e bom design. Pessoalmente não ligo pra carros, não dirijo e nunca quis aprender. Me viro bem com o transporte público e moro a uns dez passos do metrô. O Marcelo também nunca ligou, ele sempre "herda" os carros do irmão! Olha que absurdo: não sei qual é a marca do carro dele, só sei que a cor é branca!Confesso que nunca compraria um carrão pra circular pelas ruas do Rio. Além de não ligar pra isso e não conhecer marca nenhuma de carro, acho perigosíssimo! Beijão e muitos FIATs UNO maravilhosos no futuro!!!!!

Helo disse...

kkkk q barato sua história... é uma paisão mesmo hein??? naum sou muito chegada a Uno, prá falar a verdade detesto... até recusei sair com um gatinho pq tinha um Uno branco... kkkk calma, houve outros detalhes q me fizeram declinar o convite... não sou tão fútil assim... mas tbém tenho meu telhado de vidro... meu carro xodó é um Ka e antes dela era um Ka e tem grandes chances do próximo ser Ka tbém... vai entender... bjusss adoro seus textos... quando puder me visite! colombinagirl.blogspot.com

Raquel disse...

Ola hoje venho fazer um convite especial para voce ir prestigiar o especial relacionamentos que esta acontecendo no Kriativa se puder da uma passadinha la.
http://kriativa.zip.net
Bjos

Fla disse...

Hahahahaha... adivinha que carro eu tenho? Um Uno preto, 2008, que é guerreiro. Já foi batido e teve a sua lateral toda rasgada, teve o teto amassado porque uma obra derrubou um troço que não sabemos o que é, em cima do teto, e vai ser arrumado semana que vem... tá lá, esse é guerreiro...rs.
Ano que vem vou trocar porque querendo baby eu preciso de um carro com porta malas grande, mas o uno fica com o marido...rs.
Adorei teu post.
Beijos
Fla

Aline disse...

Oie!!
Tem selinho para você no Entre Pincéis!!
Beijoss

Casa Corpo e Cia. disse...

Ha, adorei!
Gostei de ver a foto da "família", rsrs.
Menina tomei um susto quando entrei neste blog aí do link, porque o nome é Mundinho Particular, e eu pensei que vco~e tinha mudado o layout lindo que a Fabi fez... heheheh.

http://tato-s.blogspot.com/

tenha uma ótima semana!
BjOs da Re.

Lidiane Vasconcelos disse...

Confesso: primeira vez que vejo um relato de tanta paixão pelo UNO. :D

Mas eu acho o carro muito simpático, sim. :)

Ana Carolina Peixoto disse...

Rosi, meu primeiro carro foi um UNO preto! Comprei com o meu din din...Foi em 1995 eu tinha 22 aninhos! Amava àquele carrinho! Associado à liberdade, à minha juventude... Eu morava sozinha à trabalho em Curitiba! Vc sabia que eu sai de casa para trabalhar em Ribeirão Preto com 20 aninhos? Pois é. Fiquei por lá 1 ano. Depois fui para Londrina, Curitiba e Porto Alegre. Foram 4 anos trabalhando em outros Estados e e morando on my own. Foi uma experiência maravilhosa!
Bjs,
Carol

Alethéa Casal disse...

Que legal! Esta relação de amro com carros é muito pessoal mesmo. Meu marido e eu temos um gol "bolinha" ano 2000 dourado, que, carinhosamente, é chamado de "Goldson". Ele teve o motor refeito e está novinho em folha... sabe que conheço uma outra família louca por unos?! É a da chefe do meu marido.

Abraços!

Beta disse...

Olá!
To passando para te convidar para participar de uma big blogagem coletiva sobre o que podemos fazer para acabar com a violência!
Dá uma passadinha lá no blog e leia o post!
Ficarei muito feliz se vcoê puder participar e puder convidar seus amigos blogueiros para entrarem nessa também!

Te espero!
Paz!
Beta

Raquel disse...

Ola vim fazer um convite especial para uma festa que vai acontecer nesta sexta-feira dia 30-10 lá no kriativa. Tem convite no post de hoje para voce. COnto com sua presença.
Não consegui comentar no post de cima....buaaaaaaa quero participar da promoção tambem
http://kriativa.zip.net
Bjos

Flávia disse...

Rosi,
fiquei tão feliz em saber que você está sempre lá em casa... coisa boa viu, aqueceu meu coração...

Eu sou apaixonada por Fusca. Meu sonho é ter um daqueles bem antiguinhos, todo creme por dentro.
Por enquanto tenho só as miniaturas.

Amor a gente não escolhe...

Bjsss

Fabi Carvalhos disse...

Rosi, paixão a gente não discute, né? rsrsrs Mas olha, reparei em uma coisa q não tem nada a ver c/ o assunto, mas me chamou a atenção, menina, como está diferente nesta foto em relacão a do perfil? Gostei mais. Não quer trocar a foto do perfil por uma mais recente? Me avise q faço p/vc. Beijão, Fabi.

FEM Clinica disse...

Putz!! E não é que eu aprendi a dirigir em um UNO!? :-D hahahaha dei risada com sua história... até lembrei da minha época com o uninho verde da minha mãe... muito jóia!! :-D
Ahh... antes que eu esqueça... Oiii!! :-D eu sou a Le.. escrevo para o blog da FEM Clínica - http://femclinica.blogspot.com/
Se quiser dar um pulinho lá para conhecer... será muito bem vinda! ;-D Virei seguidora tá?! beeijos!!